VI Jornada Winnicott e a Pediatria – A Família Winnicottiana

APRESENTAÇÃO

Nesta Jornada iremos abordar um tema muito caro para Winnicott: a família. Para ele a família é um elemento localizado numa sociedade orientado para a tarefa de lidar com a chegada de um novo  Indivíduo. Winnicott afirmou que por trás da ideia de família existe o reconhecimento da necessidade inicial da criança pequena de uma versão simplificada da sociedade que possa ser usada para o crescimento emocional essencial, até que este tipo de desenvolvimento crie na criança a capacidade de utilizar um círculo mais amplo.

Winnicott escreveu que é preciso estudar a família desde o seu início, abrangendo os primeiros anos, o período de latência entrelaçado com a escola, os primeiros estágios da puberdade, a puberdade e a adolescência inicial e final. Isso envolverá um estudo do relacionamento mãe-bebê, por conta do reaparecimento da dependência infantil em todos os estágios. Ele considerava a família conforme ela fosse
afetada pelo tipo de pais ou pela doença dos pais. Para ele um individuo só pode atingir a sua maturidade emocional num contexto em que a família proporcione um caminho de transição entre os cuidados dos pais (ou da mãe) e a provisão social.

São sobre estas questões levantadas por Winnicott que esta Jornada se propõe a debater.

PROGRAMAÇÃO

09h15 | Abertura – Profa. Dra. Daniela Céspedes Guizzo Gomes da Silva (IBPW/IWA)

09h30 | Palestra 1
Palestrante: Profa. Dra. Roseana Moraes Garcia (IBPW/IWA)
Título: A família como hospital maturacional.
Mediador: Everton Ramos Jordão de Aguiar

10h15 | Palestra 2
Palestrante: Dr. Felipe de Freitas Pires Cudizio (IBPW/IWA)
Título: As famílias não são todas iguais.
Mediador: Felippe Lázaro Salomão

11h00 | Palestra 3
Palestrante: Profa. Dra. Daniela Céspedes Guizzo Gomes da Silva (IBPW/IWA)
Título: O conceito winnicottiano de history-taking e sua relação com a família.
Mediador: Raquel Fernandes Silva

11h45 | Palestra 4
Palestrante: Prof. Ms. Saulo Araújo Cunha (IBPW/IWA)
Título: Família por adoção como ambiente terapêutico.
Mediadora: Raquel Fernandes Silva

12h30 | Palestra 5
Palestrante: Profa. Dra. Claudia Dias Rosa (IBPW/IWA)
Título: Família: um lugar sempre aberto para o retorno.
Mediadora: Caroline Ferrer dos Santos Macedo

13h10 | Encerramento

INSCRIÇÕES

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

*Haverá certificado de participação

VALORES
modalidade online:
Filiados IBPW: R$ 80,00
Estudantes: R$ 100,00
Profissionais: R$ 145,00

Preencha o formulário abaixo, com o seu nome completo, para se inscrever.

O Instituto Brasileiro de Psicanálise Winnicottiana, não se responsabiliza por eventuais problemas ou dificuldades técnicas do inscrito no momento da transmissão online.

Política de cancelamento de inscrição em eventos
1. O prazo máximo para cancelamento de participação é de até 07 (sete) dias de antecedência do evento.
2. A inscrição no evento somente será cancelada mediante envio de comunicação para o e-mail: admin@ibpw.org.br
3. Serão devolvidos 80% (oitenta por cento) do valor pago, até o último dia útil subsequente ao mês de realização do evento.
4. A inscrição é PESSOAL e INTRANSFERÍVEL.
5. Em caso de não comparecimento no dia do evento o valor investido na inscrição não será reembolsado, não será gerado crédito para outros eventos e não dará direito ao envio de materiais que possam vir a ser entregues no curso.

RESUMOS

Caderno de Resumos | VI Jornada Winnicott e a Pediatria

Profa. Dra. Claudia Dias Rosa (IBPW/IWA)

Mini currículo:Psicanalista. Atende em consultório particular desde 1992. Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP com a dissertação: A presença do pai no processo de amadurecimento: um estudo sobre D. W. Winnicott e Doutora e Psicologia Clínica pela mesma universidade, com a tese: As falhas paternas em Winnicott. Professora e Supervisora didata da Escola Winnicottiana de Psicanálise do Instituto Brasileiro de Psicanálise Winnicottiana (IBPW) e da International Winnicott Association (IWA). É autora de artigos sobre a teoria de Winnicott, dentre eles: A tendência antissocial: considerações a partir da psicanálise de Winnicott, publicado em 2017 na Revista Natureza Humana; Idas e Vindas; e Família e adoção: algumas reflexões com base em um caso de Winnicott, ambos publicados na revista Winnicott e-Prints. Organizadora do livro E o pai? Uma abordagem winnicottiana, lançado em 2014 pela DWWeditorial.

Título: Família: um lugar sempre aberto para o retorno.
Resumo: A família, quando há saúde e sorte, é o lugar privilegiado que se estabelece, não somente para os movimentos de partida em direção à independência e ao mundo maior, mas também, e é isso que pretendo desenvolver nesse trabalho, guarda um importante lugar de base e de sustentação para os necessários retornos à dependência e ao familiar, que se fazem necessários, não poucas vezes, ao longo da vida. Poder ter garantido a volta é, de certa maneira, uma condição para novas partidas e novos impulsos rumo à autonomia e à independência.

Profa. Dra. Daniela Céspedes Guizzo Gomes da Silva (IBPW/IWA)

Mini currículo: Psicóloga Clínica desde 1996 (UCDB – MS). Mestre em Psicologia Clínica (PUC-SP) com a dissertação “Winnicott e as origens da moralidade” em 2006. Doutora em Psicologia Clínica (PUC-SP) com a tese “O Caso Piggle e as depressões infantis na psicanálise winnicottiana” em 2011. Psicanalista pelo Instituto Brasileiro de Psicanálise Winnicottiana. Professora credenciada (IBPW). Analista e supervisora em consultório particular.

Título: O conceito winnicottiano de history-taking e sua relação com a família.
Resumo: Esta apresentação pretende demonstrar a importância do primeiro contato com a família, para tanto serão utilizados exemplos clínicos relatados por Winnicott. O conceito de history-taking será apresentado com as devidas análises de autor sobre as questões que o envolvem, sobre o uso terapêutico que Winnicott fazia deste momento com as famílias.

Dr. Felipe de Freitas Pires Cudizio (IBPW/IWA)

Mini currículo: Formado em e pediatria, título de especialista pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Fez curso de aperfeiçoamento em desenvolvimento infantil da UNIFESP, Curso de formação em psicanálise Winnicottina no IBPW.

Título: As famílias não são todas iguais.
Resumo: Na prática dos cuidados com crianças lidamos com infinitas possibilidades de estruturação de redes familiares, que vão por sua vez, ser o ambiente em que a criança que estamos cuidando se desenvolve. Winnicott em toda a sua parte teórica discute as relações em que o bebê e a criança estão envolvidos, e nos fornece uma base muito sólida para lidar com todas as apresentações sociais da criança, principalmente quando o tema é família.

Profª. Drª. Roseana Moraes Garcia (IBPW/IWA)

Mini currículo: Analista Didata (IBPW). Presidente da International Winnicott Association (IWA/2022-2023). Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP com a dissertação “A Tendência Antissocial em D.W. Winnicott” (2004). Doutora em Psicologia Clínica pela PUC-SP com a tese “A Agressividade na Psicanálise Winnicottiana” (2009).  Especialista em saúde Mental Infantil pela FCM/Unicamp (1994). Assessora acadêmica do IBPW. Professora e supervisora do IBPW. Artigos publicados: “O uso da consulta terapêutica na clínica da tendência antissocial” (2005), “O tratamento de crianças afastadas do convívio familiar” (2009), “Entrevista com Loparic” (2012), “A ética do cuidado e a sociedade democrática” (2013), “Tendência antissocial em Winnicott: teoria e clínica” (2014).

Título: A família como hospital maturacional.
Resumo: Na clínica do manejo winnicottiana, a família, muitas vezes, se encarrega dos cuidados de uma de suas crianças, funcionando como um setting terapêutico, que pode ser chamado de hospital maturacional em casa. Pretendo mostrar, por meio de alguns casos de Winnicott, o papel fundamental desse setting no tratamento de distúrbios maturacionais.

Prof. Ms. Saulo Araújo Cunha (IBPW/IWA)

Mini currículo: Graduou-se em Biologia e Psicologia e obteve o título de Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-SP. Atuou como professor e orientador educacional no ensino fundamental e médio em São Paulo e como consultor de programas de atendimento de crianças e adolescentes em vulnerabilidade social. Como psicanalista, exerce atividade clínica em consultório particular, realiza supervisões em serviços de atendimento institucional de crianças e adolescentes, é membro do Grupo Winnicott de Pesquisa, Estudo e Intervenção com Crianças e Adolescentes em Processo de Adoção, do IBPW, e do Núcleo Acesso, do Instituto Sedes Sapientiae. É membro e professor do IBPW.

Título: Família por adoção como ambiente terapêutico.
Resumo: São diversas as razões que levam crianças e adolescentes a tornarem-se filhos por adoção. O fato é que muitas vezes tais crianças e adolescentes necessitam de um ambiente que lhes permita retomar o seu processo de amadurecimento que foi duramente afetado por falhas ambientais. Nesta apresentação pretende-se abordar a possibilidade de a família adotiva constituir tal ambiente e assim tornar-se, por si só, terapêutica.

 

Abrir bate-papo
1
Precisa de ajuda?
Olá, como podemos te ajudar?