Entre em contato: (11) 3676-0635 e (11) 9 9611-4805

125 anos do nascimento de Winnicott

07 de abril de 2021

D.W. Winnicott, pediatra e psicanalista inglês, nasceu em Plymouth, Inglaterra, em 7 de abril de1896. Faleceu em Londres, em 25 de janeiro de 1971, praticamente debruçado sobre as últimas provas do seu livro O Brincar e a realidade.
Era o filho caçula de uma família tradicional e próspera, tendo crescido numa propriedade rural, cuidado pela mãe, por uma babá e por suas duas irmãs mais velhas.  Segundo Clare Winnicott, sua segunda esposa, ele teve uma infância protegida e basicamente feliz.
Seu pai, Frederick Winnicott pertencia a Igreja Metodista, mas era, sobretudo, um livre pensador que encorajou a iniciativa e a criatividade dos filhos. Donald acentua essa característica do pai. Conta que, certa vez, ao voltar do ofício religioso com o pai, fez-lhe perguntas a respeito de religião. O pai  respondeu-lhe: “Escute, leia a Bíblia, veja o que lá está e decida sozinho o que julga correto. Você é livre; não tem que acreditar no que penso. Tome sua própria posição a respeito.”
A mãe de Winnicott, Elisabeth Winnicott, era amorosa, mas teve algumas fases de depressão. Ele entendeu muito bem essa questão de depressão materna e sua influência nas crianças e bem mais tarde, escreveu o seguinte poema:

Mamãe lá embaixo chora , chora, chora
Assim a conheci. Um dia, deitado em seu colo, como nesta árvore morta, agora,
Aprendi a faze-la sorrir. A estancar suas lágrimas, a desfazer sua culpa, a curar sua íntima morte.
Alegra-la era a minha vida. 

Winnicott foi estudar em Cambridge. Além dos estudos, ele corria, nadava, fazia ciclismo e rúgby; tinha muitos amigos, cantava no coro da escola e fazia escotismo. Tinha o hábito de todas as noites ler uma história alto para seus companheiros de quarto. 
Quando tinha 16 anos, fraturou a clavícula durante um jogo. Depois de ser atendido no hospital, mencionou o desejo de tornar-se médico pois percebeu que não gostaria de, por toda a vida, depender de médicos, de modo que resolveu tornar-se um.
Durante a Guerra, como vários de seus colegas, Winnicott foi chamado para servir no front.
Durante a sua carreira, fazia parte da cúpula da Sociedade Britânica de Psicanálise, tendo sido próximo de Melanie Klein e de Anna Freud. Teve vários seguidores, entre eles Margaret Little e Massud Khan. Este começou o seu obituário de Winnicott com as seguintes palavras: “Dr. Donald Winnicott morreu repentinamente, em sua casa, na segunda feira, 25 de janeiro, com a idade de 74 anos. Com a sua morte, a tradição viva de uma dedicação clínica, sustentada por um único homem, ao longo de 50 anos, para o cuidado e a facilitação de crianças e adultos, na direção da saúde psíquica e da maturidade, transformaram-se em um rico legado, e em responsabilidade para seus colegas e colaboradores”. 
Segundo os resultados das pesquisas realizadas pelos membros da Escola Winnicottiana de São Paulo, o legado de Winnicott constitui-se em um novo paradigma da psicanálise, que renovou de modo decisivo a disciplina fundada por Freud. Sua principal contribuição é a concepção revolucionária da natureza humana, constituída da teoria do amadurecimento, patologia maturacional e terapia maturacional.
Elsa Oliveira Dias

Responder

Seu email não será publicado. Campos obrigatórios identificados com *